A Prática da Meditação

Em entrevista de Viviane Nogueira, publicada no jornal O Globo em 2013, a pesquisadora Elisa Kozasa do Instituto do Cérebro do Hospital Israelita Albert Einstein, diz ter descoberto que a prática regular da meditação “economiza” neurônios porque mantém o foco em exercícios de atenção. Seus estudos demonstram que os adeptos da prática usam menos áreas para desempenhar funções. A sua pesquisa envolveu duas pessoas com vida monástica e meditadores com um mínimo de três anos de prática constante por 30 minutos, três vezes por semana, numa média de oito anos de prática.

Segundo ela, no mundo atual estamos sendo constantemente estimulados o que nos dificulta focar uma tarefa, iniciá-la e cumpri-la e na meditação o treinamento da atenção se faz sem tensão física, de forma relaxada, além de ser uma prática informal.

Prática do Aikido

Praticante de Aikido, a arte marcial japonesa com ênfase em estados meditativos, o praticante se vale desses estados para praticar os movimentos. Afirma que não só ela mas, também, os grandes mestres de artes marciais que têm essa habilidade meditativa conseguem relaxar sob ataque, sob estresse.

Um estudo realizado em São Paulo aponta o índice de 30% de pessoas que atingiram critérios de diagnóstico de transtorno mental devido ao estresse dos grandes centros urbanos. Porém, atualmente em São Paulo, as unidades públicas de saúde oferecem práticas de yoga, meditação e tai chi chuan.

A importância da meditação

Como podemos definir e entender o que é meditação? Segundo o Doutor Krishan Chopra percebemos nossa vida através de três estágios de consciência, conhecidos como vigília, sonho e sono profundo. E, segundo ele, “meditar é uma maneira de possibilitar que as ondas mentais se acomodem ao silêncio de um quarto estado, que envolve o despertar interior sem a constante atividade dos pensamentos e sentimentos, uma pura calma interior”. Isto corresponde mais ou menos como uma citação bastante conhecida: “Na prece, você fala com Deus, na meditação, Deus fala com você”.

Segundo os fundamentos do Ch´an Tao, na meditação aprendemos a mergulhar na nossa própria vivência, positiva ou negativa, tirando daí nossa própria experiência. Através dela, adentramos em nossa vida indo ao encontro de nosso profundo e verdadeiro Eu.

A meditação nos propicia aquietar a mente permitindo que aflore nosso potencial criativo, o que irá nos propiciar gerar prosperidade. Através dela devemos buscar, pelo aquietamento da mente, o autoconhecimento e autodesenvolvimento, não existindo apelo religioso ou ritualístico.

Meditação pode significar disciplina, porém, sem esforço, superando a si mesmo. Ao ajudar-nos a esvaziar a mente, repleta de pensamentos gerados pela excitação cerebral provocada por influências externas, a meditação nos ajuda a aumentar a nossa clareza perceptiva e a acuidade das respostas, favorecendo, desta forma nossas decisões. Poderá nos ajudar, ainda, a afastar ansiedades, expectativas e desejos egoístas que nos trazem constantes desgastes energéticos.

Através da meditação, a mente tende a aquietar-se e a respiração torna-se mais suave e regular. Como consequência, o ritmo cardíaco e a pressão tendem a diminuir. A taxa metabólica diminui e consequentemente o lactato do sangue e o consumo de oxigênio também diminuem. O resultado fisiológico é de calma e relaxamento.

O nível mental e emocional e o consequente estado de relaxamento, produzido pela meditação, reduzem o estresse e os pensamentos negativos, como raiva, medo, culpa, entre outros, sentimentos estes que nos levam a baixa autoestima e a maus relacionamentos interpessoais.

A meditação ajuda a controlar os processos mentais, através da observação dos pensamentos que afloram e se dispersam, durante sua prática. Durante a meditação e conforme a constância com que a praticamos, iremos aprender, través da paz e do silêncio, a contatar nossa verdadeira essência, nosso Eu Superior. É o momento em que Deus se manifesta falando conosco. Quando desfrutamos este estado de paz interior, chegamos a um ponto que é chamado na Índia de “samadhi” (significa mente serena). Através de uma mente serena, antigos padrões negativos se dissipam, permitindo-nos superar as dificuldades do ambiente externo e, consequentemente, evitar o estresse do mundo moderno. Gradativamente, aprenderemos a cultivar pensamentos de positividade e bem estar.

Kiron